segunda-feira, novembro 27, 2006

Robalos em Moledo

Robalos de grande porte atraem dezenas de pescadores a Moledo

Contam-se às dezenas os pescadores desportivos que, dia e noite, de cana na mão, aguardam pacientemente, na praia de Moledo, que um robalo dê o "toque" característico na linha, sinal de que picou. Este Novembro tem sido particularmente fértil em exemplares de tamanho avantajado, com pesos a variar entre os cinco e oito quilos, fazendo as delícias dos pescadores amadores, muitos deles provenientes de vários pontos do Minho ou do Porto.


"Paciência e sorte", é como Artur Escusa define esta arte da pesca à linha, cujo maior exemplar por si colhido nos últimos dias pesava 8,6 kg. A paixão por este hobby é tal que, "se não venho à pesca fico doente", desabafa o pescador natural de Venade.Há 70 anos à pescaUm dos veteranos da pesca do robalo nos penedos e praia de Moledo é um arquitecto reformado de 77 anos, Horácio Silva, que desde os sete anos calcorreia e conhece toda a zona costeira como a palma das mãos e não hesita em considerar o "Penedo Vermelho, com bons lagos, boas entradas para o peixe se aproximar e muita profundidade", como o local ideal para as suas pescarias. A forma como se lida no mar com exemplares de peso acrescido, tem o seu saber.


"Uma vez, um robalo com mais de cinco quilos picou junto ao Penedo das Freiras e vim tirá-lo de água em frente à Ínsua, a mais de três quilómetros de distância. Estava tão cansado que se me pusessem uma mão na boca abafava".As opiniões sobre este surto de robalos na costa moledense dividem-se.


Horácio Silva garante que estes robalos "não são de cá", sendo provenientes da costa galega, onde "há defeso, o arrasto está controlado e os peixes crescem", o que não sucede no nosso mar, pois os pescadores profissionais apanham-nos durante todo o ano. Há quem, ainda defenda que "fogem" do fuel do Prestige ou são atraídos pela anormal alta temperatura da água.


Referiu que a espécie "gosta do mar mexido" e vem até junto à praia na preia-mar e aí fica "dando massagens na areia para preparar a desova", além de constituir um atractivo para o robalo, a entrada de meixão no rio Minho nesta época, que serve de pasto, pese embora a escassez de capturas destes alevins da enguia, na primeira lua (Novembro) da safra que se prolonga até Abril, assinale-se.


Dicas para apanhar robalos: Linha de 40 m/m que aguenta exemplares até 16 quilos, chumbos de 125 gramas e isco variada, indo desde as pequenas lulas colhidas no arrasto do camarão, casulo (um pouco caro, tal coma as lulas vendidas no mercado de Caminha a 12 euros o quilo, face à crescente procura por parte dos pescadores), mexilhão da Ínsua, caranguejo .


A fugir do fuel do "Prestige"?

As fugas de fuel que o "Prestige" está a registar nos últimos tempos poderá também acarretar deslocações do peixe para sul, fugindo à poluição, o mesmo sucedendo com o que se encontrava no interior das rias galegas, escapando às enxurradas de lamas provenientes dos montes circundantes, devido aos incêndios do passado Verão que desertificaram os solos, opinião também corroborada por João Baixinho, um pescador desportivo de Caminha.Temperatura da água alta para a época"


A temperatura das águas tem sido elevada, na casa dos 20 graus -até apetece tomar banho, adianta - e quando assim é, as espécies maiores têm de vir até junto da rebentação, a fim de se oxigenarem", afirma João Baixinho.


Fonte: JN, 27 de Novembro de 2006

0 comments: