sexta-feira, abril 18, 2008

Libertar o peixe grande

Amigos,

Depois de ter dito alguma coisa sobre a questão imprescindivel de libertar sempre o peixe pequeno, aqueles que não chegam à medida miníma imposta pela lei (36 cm) ou mesmo os que ficam na franja dos 42 cm, gostaria de voltar ao tema mas agora para falar da libertação dos peixes grandes.
Mais uma vez entendo que não devemos cair em fundamentalismos de libertar tudo ou levar tudo para casa. Acredito, cada vez mais, que será a própria evolução do pescador de spinning que nos irá levar a uma situação em que iremos assistir à libertação dos exemplares maiores.
A divulgação é um bom contributo para essa situação. Se é certo que ao divulgarmos podemos contribuir de alguma forma para dar conhecimentos ou instrumentos a quem não tem escrupulos também não é menos verdade que ao ensinarmos podemos fazê-lo transmitindo as ideias da preservação e da libertação.
Acredito que mesmo que lentamente essas ideias irão vingar. Não são necessários fundamentalismos. É apenas necessário bom senso. Se apanhamos uns peixes bons se calhar podemos optar por não levar alguns e devolver à agua. Agora também acredito que não é a meia dúzia de peixes que apanhamos numa sessão (muitas vezes que acontece apenas uma vez ou duas num ano) que irão levar ao fim dos robalos.
Para todos nós que sonhamos com aquele peixe grande, com aquele robalo da nossa vida será complicado apanhar um e libertar. É perfeitamente compreensível querer levar o peixe. Mas provavelmente passado esse ponto os próximos poderão ser libertados e substituídos por uma foto que marque essa captura. Acredito que muitos do que visitam este blog o irão fazer um dia. Sem fundamentalismos e no que puder irei tentar contribuir para isso.
Abraço e bons robalos,

3 comments:

Carlos Fazenda disse...

Porque será que não há ainda comentários a este POST !!!!!!

O tempo está mau..., que será que andam a fazer os nossos amigos?

Fernando, eu acho que tocas no verdadeiro TABU dos pescadores, libertar os peixes ( aqueles mesmo grandes...)

A verdade é que alguém tem que começar a falar assim, dando o exemplo e que sejam os mais experientes e os mais pesqueiros.

Em França, já é assim a algum tempo, mesmo em Espanha todos falam em "Sin Muerte" tanto no rio como no mar.

Eu, ainda muito ingénuo e sem peixes grandes no palmarés, ardo em desejo pela sorte de sentir a cana a bater e ser um grande peixe.

No fim de semana passada senti algo, quase fabuloso, mas não era um robalo, era apenas uma grande cavala( que luta que foi ). Pensei, quando bateu que era o meu robalo, mas quis a fortuna que não fosse.

Libertei o pobre peixe na àgua e voltou a ser um peixe.

Tens razão Fernando, se tivesse sido um Robalo e o tivesse libertado voltava a ser um Robalo.

Mas sabes o que irrita, é saber que há alguém, ao lado que apanha tudo, e leva tudo, pequenos e grandes.

Mas acredito que depois de apanhar o meu grande peixe, me sinta muito realizado em devolvê-lo à sua condição de peixe.

A minha fé é a lei da compensação: “O Universo dá-nos tudo aquilo que nós damos ao Universo”.

A verdade é que fiz um comentário da minha consiência no teu post “Soltem os Peixes Pequenos” Aí, assumi o meu ônus e no passado domingo tive 15 minutos de pura adrenalina.

Será que...!?, Se eu devolver o meu grande robalo ao mar, serei afortunado por outros grandes momentos de adrenalina ?


Carlos Fazenda

Ricardo Leonardo disse...

Belo post, Fernando!

Também penso que é igualmente importante devolver o peixe grande como o pequeno, sem fundamentalismos.

Sentir um bom peixe entre as mãos, na água, dar à barbatana para a vida é um prazer redobrado.
O desfrutar da sua luta e depois, o sentir a devolução daquela vida, que irá perpetuar a harmonia com esta Natureza que nos dá tudo isto.

Abraço

Paulo Machado disse...

Olá Fernando,
Mais um excelente post. A libertação dos exemplares sem fundamentalismos, só com bom senso. É evidente que ninguém pretende dar lições de moral a ninguém, mas como disse e bem o Ricardo, é um prazer enorme DEVOLVER um exemplar ao mar.
Eu não devolvo TODOS os peixes que capturo, devolvo ALGUNS, e isso dá-me um enorme prazer e uma grande satisfação.
De resto Fernando, quero agradecer-te publicamente pelo excelente contributo e pelo exemplo que tu prestas a toda a comunidade de Spinning de Portugal e a todas as outras modalidades de pesca.
Um Grande Abraço