segunda-feira, abril 07, 2008

Soltar o peixe pequeno

Caros amigos da pesca,

Hoje apetece-me falar um pouco da questão da libertação ou não dos peixes que capturamos acima da medida mínima imposta por lei, porque como é evidente, abaixo dos 36cm a possibilidade de ficar com o peixe nem se coloca para mim ou para quem entende a pesca como eu.

Quero começar por dizer que considero que cada um deve agir de acordo com a sua própria consciência. Ninguêm deve dar lições de moral a quem quer que seja. Eu pelo menos não o pretendo dar.

Idealmente a melhor forma de preservar o robalo era pescar sem morte, libertando todos os exemplares que pescamos. Todavia não vivemos num mundo ideal nem precisamos de cair em determinados excessos. Como tudo na vida deve haver um equilíbrio e uma ponderação entre aquilo que pescamos e o que levamos para casa.

Como iremos dizer a um companheiro de pesca que deve deitar novamente à agua um robalo de 42 cm que, para quem está habituado a apanhar peixe, até pode ser um bicho pequeno, quando para ele esse pode ser um bom trofeu? Será que a sobrevivência da espécie depende dessa libertação? Sinceramente penso que não. A sobrevivência do robalo nos anos vindouros depende muito mais do aumento da fiscalização e do fim das actividades de "rapa" que se continuam a fazer quer da costa quer a partir de embarcações costeiras.

Cada um de nós tem a responsabilidade de tentar preservar aquilo que pescamos e penso que a comunidade de spinning em Portugal tem vindo a evoluir cada vez mais e melhor nesse capítulo. Cada vez mais temos pescadores a libertar peixe mesmo debaixo das criticas alheias de que o peixe deve todo ir para o saco. E conheço muitos amigos que são excelentes exemplos desta nova postura perante a pesca. É necessário uma grande pedagogia e um esforço. É necessária uma enorme mudança de atitude em Portugal. É preciso entender o valor que tem a pesca lúdica e defende-la.

A todos aqueles que pensam como eu e libertam o peixe um abraço e um obrigado.

19 comments:

Paulo Machado disse...

Olá Fernando,
Mais um excelente post, concordo contigo, quando dizes que a libertação do peixe acima das medidas minímas é uma questão de consciência de cada um.
Sem falsos moralismos, penso que é precisamente com estes posts que cada vez mais alertamos e incutimos nas pessoas a necessidade de preservar as espécies e os recursos marinhos, que são de todos nós.
Abraço

MR disse...

Concordo plenamente com estas palavras, Por acaso já libertei alguns peixes e nunca trago para casa peixe abaixo dos citados 42 cm.
Mas sei de muito boa gente que tráz tudo para casa, dizem eles um peixe com 34 cm fica lá não, vem dessimulado na roupa ou mochila, eu bem contraponho e tento fazer-lhes ver os meus pontos, mas conta a ignorância não há hipoteses, espero que sejam um dia apanhados pela fiscalização.

AB

ZeNeR disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
xandre disse...

Divulgar e Preservar

Estas duas palavras quando surgem juntas na mesma frase dão logo azo a duplas interpretações, uma vez que de certa forma são antagónicas.
1. Se vou Divulgar, estou a partilhar os meus conhecimentos com os outros e chamo a isto liberdade de conhecimento.
2. Será que o conhecimento livre não vai prejudicar aquilo que eu tanto estimo que é Preservação?
Talvez fosse melhor, quando aparece um outro pescador, eu esconder-me ou esconder a amostra, fazer um intervalo na pesca e divulgar só àqueles que eu acho que pertencem ao meu grupo.
Então temos o conhecimento só para umas elites, para as quais nem sei se estou altura, e das quais não quero fazer parte. A minha maneira de estar está relacionada com o conceito de fórum ou blog: divulgar e partilhar.
Quando transmitimos os nossos conhecimentos, temos de saber fazer passar a ideia de que eles não valem de nada se não existir preservação e respeito pelo próximo.

Quero acreditar que as próximas gerações de pescadores terão peixe para pescar e muita coisa para me ensinarem.

Abraço
xandre

Pedro Russo Baião disse...

Amigo Zener, repito as palavras quase na íntegra, que deixei noutro post:
Eu acredito que é na divulgação que está a chave, pois quanto mais divulgado o spinning como desporto for, maior irá ser a consciencialização de quem o pratica.
Eu acredito que mais tarde ou mais cedo, talvez quando a competição de spinning ao robalo começar (como em França), o "no-kill" pegue a nível geral, pois o robalo irá ser encarado com um recurso desportivo e não apenas como uma iguaria para a panela.
Acredito que esse seja o futuro e a solução, mas sei que é um longo caminho a percorrer e não vai ser fácil, mas tenha em conta França por exemplo, ou outros países com outras espécies como os USA a nível do achigã. Eu sei que estamos a anos luz, mas um dia lá chegaremos, espero eu, para bem de todos aqueles que gostam de pescar!
E em relação a divulgar pesqueiros, essa é uma questão sensível, mas não podemos cair na tendência de nos "fechar-mos em copas", pois acho que isso só acaba por prejudicar o nosso desporto e não o deixa evoluir até ao nível que já se encontra noutros países.
Revejo-me na atitude Xandre, acho que é a melhor atitude que possamos ter.
Em relação ao que diz sobre os achigãs e a APPA, eu tento perceber o que quer dizer, assim como os pesqueiros de robalos que ficaram carecas devido à pressão de pesca.
Mas seja paciente, se o amigo divulgar e passar a mensagem, certamente irá ser mais benéfico para o recurso que é o robalo, do que se preferir fazer segredo sobre as técnicas que usa, pesqueiros, etc...
Eu quero acreditar que as coisas vão melhorar, apesar das dificuldades actuais, porque é que o amigo não muda de atitude e não tenta contribuir de uma maneira activa para isso?
Não divulgar é um erro, e como já foi dito antes, não quero fazer parte de elites, acho que todos têm direito ao conhecimento, e têm direito a desfrutar da modalidade espectacular que é o spinning, cabe-nos a nós, tentar passar a mensagem.
Divulgar e preservar.

Bem haja, e boas pescas.

Sebastiao Pereira disse...

Concordo que temos de ser razoaveis e entender que o tal trofeu mesmo de apenas 36 cm pode ter para essa pesca ludica (que hoje é paga)um papel protector.Se pensarmos na satisfação que um pescador tem num dia com dois ou tres peixes. Se não fosse tão raros talvez a ganacia que destroi se transformesse em puro prazer e consequente protecção. É nesta protecção que temos de batalhar, é criar vontade de aletar a Policia Maritima quando vemos as redes em cima das pedras, praias, onde a ganancia destroi....Questiono-me do destino dado à taxa que nos impuseram espero que parte seja posta à nossa disposição na protecção.Está-se a tornar triste viver neste país. Abraço, desculpem om desbafo. Abraço

Ps: Ja agora onde posso encontrar regras de pesca profissional junto da costa? Que nos permitam alertar autoridades sem estarmos a cometer um erro.

Abraço, parabens pelo blog.

Fernando Corvelo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ZeNeR disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernando Corvelo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Bom, nao me querendo alargar muito, se o amigo ZeNeR é tao bom em matematica... podia presumir que a maioria dos pescadores nao profissionais, vao a pesca 1, 2 vezes por semana no maximo, um ano tem 48 semanas, logo estimamos uma media de 60 pescarias por ano... tendo em conta que todas as vezes apanhavamos um peixe (o que e totalmente falso) seriam 60 peixes, mas para compensar os dias em que apanhamos 2 ou 3, estimamos em 40 o numero de peixes apanhados, sendo que possivelmente, desses 40, apenas 15 serao peixes reprodutores como o amigo indica... ora, voce vai dizer me a mim para devolver esses 15 peixes a agua? vem criticar aqui pescadores que apanham peixe por desporto e alguns para comer, mas concerteza nao vai protestar na lota os biliões de peixes que nao vao nascer, devido a captura de CENTENAS de robalos reprodutores por NOITE? Apelidar de carnificina uma noite em que se apanham uns peixes a mais? É assim tao cumpridor de leis e costumes morais? nunca passou dos 120kmh na autoestrada? anda a 50kmh nas localidades? para tudo e necessario bom senso, e parece-me que as suas afirmaçoes e a sua "diz que é uma especie de indignação" estao a ir longe demais quando critica o facto de se disponibilizar uma receita de culinaria... nao o vejo nos programas da manha da tvi a criticar o Manuel Luis Gouxa pelas dezenas de robalos que ja cozinhou...
Fosse a sua postura menos prepotente na defesa daquilo em que todos acreditamos, e concerteza lhe teriam dado razão... mas la esta, o bom senso que nos tenta impor, nao o teve o senhor na hora de escolher as palavras com que abordou o trabalho de quem como muitos tem uma paixao pela pesca, e se digna a fazer algo pela mesma, quer seja em divulgaçao ou educaçao. Deveria tambem ter ponderado antes de tecer apreciaçoes de juizo de caracter, de quem o amigo nao conhece!

Para terminar, apenas dirigir os meus parabens ao Fernando, leio o teu blog assiduamente, e acho que tens feito um trabalho excelente, quer em esclarecimento, informaçao e educaçao da comunidade de pescadores desportivos. O blog tem qualidade, e agradeço a tua partilha e gosto por esta modalidade. Nunca me senti ofendido com nenhum conteudo do blog, antes pelo contrario, e derivado a isso hoje tenho uma postura diferente na pesca... Continua o bom trabalho!

Um grande abraço
Hugo

ZeNeR disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
S. Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro Russo Baião disse...

Amigo...em relação à sua atitude, já vi que você é de ideias fixas, parabéns, mas já não vou perder mais o meu tempo a tentar fazê-lo ver que o secretismo, para além de me repugnar, não leva a lado nenhum e apenas piora o problema.
Mas antes, tenho que fazer um reparo:

"7. A minha retórica leva a algum lado!!! Todos vocês, que leram o que escrevi podem continuar a assar todos os robalos que pescam, mas os meus ficam lá! Logo a minha retórica leva a algum lado… por muito perto que seja."

Isso é mentira. Não diga o que não é verdade, não lhe fica bem, nem eu nem o dono deste blogue, nem os verdeiros DESPORTISTAS levam todos os peixes para casa.

Se você quer realmente mudar as coisas, se quer realmente tentar fazer algo de útil, em vez de destruír e críticar, porque é que não tenta mudar a mentalidade aqueles que se iniciam? Não, não somos nós, ao contrário do que o amigo afirma, nós não "massacramos" todos os peixes que apanhamos, nem nós nem a maioria dos pescadores que fazem spinning.
E veja duma vez por todas o verdadeiro problema, não é a cana e a amostra, é o barco e a rede.
E por amor de Deus, acho que está na constituição que toda a gente tem direito à informação, e liberdade de a procurar, e disso faz parte a públicação de revistas, sim até das de pesca desportiva, ah, e a isso também é chamado Democracia.
Lembre-se que nem todos têm a sorte de ter um pai que é pescador e que os pode ensinar, terão que aprender nalgum lado...não se esqueça disso.

E assim me fico, pois acho que não há mais nada a dizer, com atitudes destas não se vai a lado nenhum, é verdade à menos peixe, mas chegar aqui e "vaporizar" todos aqueles que têm blogues ou escrevem artigos para revistas, e culpa-los da actual situação do stock de robalos, e afirmar que estes não libertam o peixe, nem cumprem nem nada...enfim tanta coisa que já foi dita....acho que você devia mesmo ponderar...antes de falar.

Bem haja, e boas pescas.

PS: As cavalas também têm piada...

José Gomes Torres disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Fazenda disse...

Discurso com a minha consciência...no fim da pesca.

-Quantos apanhaste?
- ...
-O quê tantos... Hum!
- ...
-Esse é o maior quanto mede? Quanto pesa?
- ...
-E os outros eram pequenos ? Devolveste foi ?
- Claro!


Apanhei um, boa! Vou continuar praia fora e vou embora ?
Não! Arranjo o peixe na praia, escamado e lavado e depois vou para casa.

A verdade, é que eu gosto de levar um peixe para casa.
É bonito o pai levar um peixe para o almoço.

Mas, muitos peixes em casa...hum! Muito cheiro...
Não podemos estar sempre a comer peixe. Não é ...?
O peixe congelado perde muito... Não é ...?

Mínimo:
Levo um peixe, “mas um peixe, mesmo um peixe, daqueles que é mesmo, mesmo um peixe”... “de Ermesinde” ( daqui a pouco estou a pagar direitos)

4 pessoas x 200 gr de peixe limpo = 1,1 Kg com guelra e tudo.
1,1 Kg = 50 cm

A receita é uma das pesquisas do Fernando, (com menos 150 gr )...
Bom proveito !

Carlos Fazenda


P.S. Ah! Se for maior... Parabéns !!!
P.S.(2) Se houvesse mais... levava mais, certamente.
P.S.(3) Não sou mentiroso - Já levei mais pequenos.
( Todos nascemos pescadores mas há uns que evoluem!)

Anónimo disse...

Caro Amigo Gomes Torres, agora entendo de certa forma o fundamentalismo no discurso do seu filho zener, como em quase todos os sitios onde tenho tido o prazer de ler os seus textos e opinioes, a ideia que retenho é que o senhor, alem de se considerar melhor pescador e pessoa que a maioria, não é minimamente democrático. Nem tao pouco é correcto a fazer reparos, tenha ou nao razao, é extremamente agressivo nas observaçoes que faz e nao respeita as opiniões dos outros, lembre-se que a sua liberdade acaba onde começa a do proximo...

Se é tao apologista de esconder segredos, a minha pergunta é uma, porque nao guardou esse para si? a resposta, penso tambem ter, porque tal como referi, em todos os sitios que tenho lido comentarios seus, gera-se polémica, o que so se pode dever a um ou dois factores... ou o senhor nao e detentor da razao, ou por e simplesmente é uma pessoa conflituosa... eu ate apostava nos dois... "ah e tal, eu sei o que vai acontecer, ja aconteceu noutros lados" certezas penso que sao bem vindas, mas fundamentadas, senao, no meu entender, nao passam de meras opinioes... onde estao os estudos? quem lhe disse que era assim? como soube? ate que ponto conhece os habitos e genetica dos robalos? ou simplesmente o ceu é azul porque sim? Lembre-se tambem que quem critica, deve em todas as circunstancias estar preparado para abraçar o retorno das mesmas criticas... ao passo que na sua opiniao lhe andamos a destruir os recursos marinhos, o senhor traz consigo um cortejo funebre se sites e espaços de partilha de tecnicas de pesca, ou sera mentira? para si tudo esta mal... simplesmente porque em comunidade, o senhor nao funciona... em sociedade, existem regras, e mandam as da boa educaçao que se respeite as opinioes alheias. Folgo em ver que tao acerrimamente defende o seu filho, e ate acho bem, sou pai tambem, o que nao posso concordar, e é isso que transmito aos meus, é que se imponham aos outros, pois do que este pais nao precisa é de mais alunos a agredirem professores para reaverem os telemoveis... mais casos carolina michaelis nao obrigado. Expor a opiniao : sim impor a mesma : Nao, especialmente se o fizerem sem respeito, com prepotencia, e com o puro intuito de destabilizar...

Quanto aos peixes, nao sendo eu um pescador sequer mediano, poucos peixes grandes apanhei ate hoje, e nao tenho vergonha de o dizer, sou um pescador desportivo OCASIONAL, mas se educadamente tiver a amabilidade de expor as suas ideias sem ferir os que nao concordarem consigo, e desde que as mesmas sejam fundamentadas cientificamente, terei todo o gosto em ler, e possivelmente em mudar os meus habitos como pescador.

Apanhar um peixe e ir embora, nao faz de mim pescador, pois todos sabem que na pesca, como em qualquer outro desporto, é a pratica, treino e preserverança que fazem um bom desportista, quanto ao libertar, concordo que se faça.

Sugiro portanto que nao apareça apenas nas alturas de criar confusao, envolva-se mais e defenda as suas opinioes, e nao seja radicalmente fundamentalista... Nao quer ensinar? tudo bem, ninguem o obriga... mas tambem nao queira obrigar o resto das pessoas a lerem as suas duras e pouco educadas criticas quando o senhor assim bem o entende.

um democratico adeus a todos, e continuo a afirmar que a educaçao é o caminho, seja na pesca ou fora dela.

Hugo

Sargus disse...

Boas a todos,

O titulo desta entrada que o Fernando Corvelo fez fala em soltar o peixe pequeno...

Claramente existe uma dualidade, os pós e os contras, como tudo na vida, na minha humilde opinião estamos a debater um fundamentalismo que gera atritos e confusões, se compararmos a pesca em águas interiores com o mar nada podemos comparar, não existe uma pressão tão grande nos recursos nas águas interiores como exite no mar, mas em que grau se encontra a pesca em águas interiores?

No mar para alem da suposta pressão dos lúdicos, desportistas ou não, balanceiros ou não, preservadores ou não, existe o que chamo o verdadeiro problema e disso pouca gente fala, podiamos claramente deixar este ponto e debatermo-nos no verdadeiro problema que tem muitas ramificações:

- Poluíção
- Pressão da pesca profissional
- Atentados ambientais
- Agriculturas intensivas
- Politicas governamentais (que mais não são que aplicação de coimas e licenças)
- Falta de fiscalização
- Lobbys da maior causa sobre a pressão dos recursos (pesca profissional)
- Pesca tradicional (artesanal)
- Impactos ambientais de varia ordem, turística e humana
- Alterações climáticas
- Pesca lúdica (coloquei-a em ultimo lugar não por ordem mas porque acho que também causam uma pressão considerável nos recursos

Certamente existirão mais, mas só para salientar alguns...

Muitas opiniões lí e compreendo o porque das mesmas, existe alguma preocupação e isso é bastante positivo, mas o grande problema é a conjuntura que está a dar cabo dos recursos e não uma unica, penso que disso estamos bem claros, ou talvez não...

Quanto à preservação de uma ou mais espécies, parte na consciência de cada um, no que queremos para um futuro a curto/médio prazo, o caminho será quase utópico, porque não vejo uma solução do problema apenas sendo combatido com a preservação e libertação das espécies no seio da pesca lúdica, e disso é impossivel dizer o contrário, muita coisa teria de ser feita neste campo, seguindo os pontos acima citados e em cada um deles tomar medidas cirurgicas, porque assim não vamos lá, e enganem-se redondamente porque se todos os pescadores lúdicos deixassem de pescar haveria um acrescimo de espécies de certeza, mas não seria sustentável a médio prazo, porque mais danos faz um pequeno barco de madeira com dois tripulantes a bordo com um aparelho alvorado de pilau ou um pano de rede ou varios cercando uma baia ou praia do que 1000 pescadores lúdicos, tenho exemplos disso nesta minha curta passagem pela vida onde uma só pessoa ceifou a vida a 1500 kg de robalos em redes num dia, como este exemplo existem muitos de norte a sul do país, não estamos propriamente a discutir o sexo dos anjos, estamos a discutir uma problemática que na minha opinião é bastante utópica e pelo que tenho conhecimento quase impossivel de combater com tudo o que foi dito ou feito até hoje.

Existe uma lei à qual nos devemos reger, existem mentalidades às quais devemos louvar, existem problemas aos quais nos devemos unir para combater não o contrário.

Pensem nisso!

Grande abraço.

Fernando, parabéns pela tua entrada, restantes visitantes que comentáram esta entrada, parabéns pela vossa preocupação.

Pedro batalha disse...

Olá fernando, gostaria em 1º agradecer pelo belo tema aqui introduzido.
Depois e porque também iniciei agora a pesca ao spinnig no mar.
Achei o teu blog muito interessante e por isso gostaria de saber se poderei coloca-lo na lista de blogs no meu blog.
abraço

Fernando Corvelo disse...

Caro Pedro,

Obrigado pelas palavras. Apesar do tema poder ter sido mal entendido, continuo a defender que devemos preservar ao máximo e devolver sempre que possível o peixe. Sempre o fiz e não irei mudar.

Claro que pode adicionar o blog. É uma honra para mim.