domingo, abril 19, 2009

Uma perda...

A equipa do Robalos nas Ondas, deixa aqui uma mensagem de pesar e também de homenagem a Luis Vicêncio, Fundador do Fórum Pesca Com Amostras . O Luís partiu para outros mares, de repente, sem avisar...a vida tem destas coisas que nos apanham de surpresa e nos deixam sem palavras. Onde estiveres companheiro da pesca, recebe esta mensagem de quem, tal como tu, adorava ir aos robalos... abraço e até sempre.

Fernando Corvelo, Carlos Fazenda, Pedro Russo e Alexandre Alves

quarta-feira, abril 15, 2009

Mais uns videos da Ima Popkey 120

O Carlos Fazenda e o Pedro Russo ajudados pelo Pedro Narciso fizeram uns videos do pencilbait da Ima, a Popkey 120. Deixo-vos aqui alguns deles e acrescento uns dados técnicos sobre a amostra e a sua tabela de cores.




POPKEY - IMA
Tipo: Superficie
Tamanho : 120 mm
Peso: 16 gr
Fateixas: Owner ST46#4

#015 Mako Sardine

#011 Live Anchov


#010 Gold/Chartreuse


#008 Mellow Orange


#004 Chili Pepper


#006 Night Jaeger

Libertar

Acompanhado pelo membro do "Team Robalos nas Ondas" Carlos Fazenda, e pelo amigo Pedro Narciso, fomos à procura dos lobos da areia.
As condições eram perfeitas.
O mar tinha uma cor bonita, estava mexido, mas não demasiado. O céu estava nublado e o vento era nulo.
Os robalos e as bailas tinham que lá andar, pensavamos nós.
Logo ao abrir dos primeiros lançamentos, a Duel Darter, na cor habitual, ferrou-me um bonito robalo da areia.
Depois de uma luta que não durou muito, mas intensa, o robalo lá veio a seco.
Retiradas as fateixas da sua boca, tiraram-se duas fotos, e água com ele.
Não foi pesado nem medido, mas teriam certamente cerca de um kilo.
Insistimos o resto da manhã, mas infelizmente, nem os robalos nem as bailas quiseram colaborar.
Foi uma manhã bem passada, e sabe bem libertar, a meu ver, é o correcto a fazer, depois de nas minhas últimas idas ter cobrado alguns peixes, é altura de agora dar descanso ás capturas, praticando a libertação.
Fizemos um vídeo da libertação, infelizmente a máquina usada não foi muito católica e decidiu não gravar...enfim, deixo aqui uma das fotografias tiradas antes do peixe ter voltado à água.



Vão à pesca, mas pesquem com consciência!

quinta-feira, abril 09, 2009

Ima Popkey 120

Deixo-vos este video da Popkey 120 da IMA. Um pencil que promete na pesca ao robalo. No video os japoneses demonstram as possíveis técnicas de animação e as potencialidades desta amostra. Brevemente deixo também a minha apreciação pessoal pois já tenho uma em meu poder para testar melhor.

terça-feira, abril 07, 2009

Yo-Zuri/Duel Darter

Ultimamente uma amostra em particular tem-me dado boas capturas.
Falo da Yo-Zuri/Duel Darter (Aile Magnet).



Esta é uma amostra que já apareceu no mercado há algum tempo, mas recentemente a marca lançou uma nova gama, com ligeiras diferenças (triplos, hidrodinâmica) e uma nova palete de cores denominada Aile Magnet NEO DB.
Site oficial ->

Consiste numa amostra de forma compacta, de 28 gramas e 125 mm's (o tamanho maior, existe outro mais pequeno de 105 mm's), e que no seu interior possui um sistema de transferência de peso magnético, o que a ajuda a alcançar distâncias excelentes aquando o seu lançamento.
Devido à sua forma lança muito bem mesmo contra o vento.
Em relação à sua profundidade de natação o fabricante anuncia no máximo 80 cm's, algo arriscado para fundos muito rochosos e com pouca água.
Devido à forma da sua palheta, que na realidade é a sua cabeça "cortada", agarra muito bem a água, e tem-se tornado na minha escolha para mares fortes, em que é necessário uma amostra volumosa e que chame a atenção do peixe.
O facto de não ter uma palheta convencional é mais um ponto a seu favor, pois é menos um elemento que se pode partir, especialmente a pescar em pesqueiros rochosos.
A sua acção é caracterizada por um "dardejar" errático em que a amostra dispara em diferentes direcções aquando cada toque de ponteira, imitando um peixe presa assustado ou ferido.
Durante uma recuperação linear a amostra produz um movimento natatório lateral apertado (wobbling).
Por sorte, o F.C. e o Carlos Fazenda ofereceram-me, pelos meus anos, uma destas amostras, na cor HHS (Obrigado !!!!).



Não podiam ter escolhido melhor.
Tanto em pesqueiros de rocha, como apenas de areia, em dias de mar forte e turvo, esta amostra fez o que as outras não fizeram.
Lançou bem, trabalhou bem, e apanhou peixe.





Gosto de usar estas amostras recuperando a uma velocidade média, mas sentindo sempre tensão na linha, dando toques de ponteira para a conseguir o movimento errático de dardejar (darting).
As pausas também são bem vindas, intercaladas com as animações e recuperações lineares, ao ser parada, esta amostra flutua lentamente.
Os triplos desta amostra são de excelente qualidade e relativamente grandes, mas na minha opinião, proporcionais a esta mostra
Ferram muito bem, e os peixes das fotos acima não tinham grandes hipóteses de escaparem por culpa das fateixas.

No entanto, encontro um ponto negativo nesta amostra.
A sua tendência a ganhar água no seu interior, o que acaba por afectar a sua acção, que entra pelos orifícios das fateixas. Resolvi o problema envernizando as amostras com verniz de epoxy, que também confere longevidade adicional à sua pintura.

Em suma, na minha opinião, um "must" para mares fortes, dias com vento, e condições "tempestivas" em geral.

Espero que vos tenha sido útil;

quinta-feira, abril 02, 2009

Saramugo, o Revoltado!!!

Boas,Eu sou o Saramugo, sim leram bem SARAMUGO, também conhecido por Anaecypris Hispanica.Para quem não me conhece ou nunca ouviu falar de mim, vou tentar apresentar-me brevemente para que me reconheçam quando tiverem o privilégio de se cruzarem comigo lá para as bandas do Guadiana. Pois é, sou um peixe raro. Pequeno de “estatura”, raramente ultrapasso os 7cm, corpinho estreito e comprido ladeado por uma vistosa cor de prata com laivos de rosa e nos flancos sou pintalgado de tons negros (imposições da modernidade). Não se pode dizer que tenha uma grande cabeça, mas os olhos são grandes e a boca é virada para cima, adaptada ao facto de eu me alimentar à superfície.
Até aqui tudo mais ou menos, até ao dia em que encontrei um vosso conhecido, o ICNB, e ainda outras vozes que levantaram a bandeira da minha defesa. A partir desse momento, a minha vida ainda se complicou mais, passei a ser Saramugo, o Revoltado.Digam lá quem é que não se revolta quando tínhamos a nossa vidinha toda organizada e vem um grupo de senhores, que querem só o nosso bem estar, e mudam-nos o esquema todo e ainda nos dizem que é em benefício da nossa estirpe?!!!
Em primeiro lugar, arranjaram um inimigo, o Achigã, esse “exterminador impecável”, homicida de boca grande, que veio do continente americano capaz de inúmeros genocídios.Dei vivas por ter sido descoberto por esses defensores, pois andei muitos anos esquecido e nada melhor do que ter alguém a defender os meus interesses: passei a ser mais uma estrela da conservação da natureza tão bem conhecida em Portugal.“Morte ao achigã, essa espécie invasora! Eliminem o defeso, as medidas mínimas! Expulsem-no daqui, ele não é português nem espanhol, por isso não tem direitos adquiridos. Fritem os seus juvenis! Nas nossas águas só nós temos direitos.”Um dia, depois de vários pesadelos com esse “exterminador impecável”, acordei e comecei pensando: “Mas que raio de bicho papão é esse que eu nunca o vi rondar a minha porta, não conheço nenhum parente nem familiar que ele tenha sido assassinado?”Afinal o verdadeiro pesadelo foi constatar que o meu defensor queria mudar-me a casa, sem pedir autorização e eu pensando que ele estava a cuidar dos meus interesses. Logo eu, que gosto de cursos de água com pouca profundidade, com alguma corrente e água bem oxigenada, iam mudar-me para uma lago que não era natural e não iam cuidar dos meus ricos cursos de água que não são tratados, e recebem todo tipo de poluição.
Afinal, o meu assassino não vive nas minhas águas, pois o seu habitat é outro.Quem me que protege do meu protector?!
Saramugo, o Revoltado

O meu primeiro post.

É com prazer que aceito o convite do Fernando Corvelo para colaborar no seu Blog e juntar-me a mais dois amigos, o Pedro Russo e o Carlos Fazenda.
Espero vir a conseguir contribuir para a divulgação da nossa modalidade, não esquecendo a preservação do robalo e do meio ambiente.
Aproveito este meu primeiro post para apelar aos leitores a que se unam, pois estamos a viver momentos difíceis em relação à pesca com o surgimento de novas leis e portarias elaboradas por pessoas desconhecedores da nossa realidade. Quanto a esta última portaria n.º 143, não devemos pensar que só afectará os pescadores residentes no Alentejo e Algarve e aqueles que para lá se deslocam, pois este iluminado normativo poder-se-á expandir a outros locais. Devemos começar a lutar desde já contra esta injustiça antes que ela acabe com a pesca.

Alexandre Alves