quarta-feira, maio 27, 2009

Robalos da Cidade

O inesperado surge como um dos maiores prazeres que a pesca com amostras ao robalo me dá.
O quando, como, e porquê.
Por vezes, quando menos se espera, onde menos se espera, melhor ainda...onde menos se tem Fé (aquele factor importantíssimo), fazem-se boas pescas.
E é isso mesmo que venho partilhar.
No seguimento das minhas insistências em tentar encontrar exemplares de bom tamanho em zonas urbanas/ribeirinhas, o Alexandre Miguel e eu decidimos ir dar um pulinho a um "pesqueiro" bem discreto, na zona ribeirinha da cidade onde resido.
Pode ser uma pesca considerada como "street fishing"; material bem ligeiro, aposta nas amostras de vinil, pesqueiro bem pertinho de casa, e aquele toque "especial" de se lançar amostras numa paisagem de ruas, prédios e fábricas.
Certamente não é uma vista (na minha opinião) tão bela como nas praias onde gosto de pescar, mas é diferente, e fazer coisas diferentes do habitual faz bem, e por vezes...dá resultados.
Pesca-mos sempre com empate texas, com chumbos na ordem dos 7 e 10 gramas.
Empatei um senko e o resultado não se fez esperar, e fui o primeiro a ter a sorte de ferrar um bonito robalo com 2 kilos certos.



Pouco depois já usando um Super Fluke apanhei um cachaço que prontamente soltamos.



Momentos depois, o Alex ferra um belo bicho, daqueles robalos que já brigam sério.
Quando o peixe já se encontrava junto da margem, desci para o cobrar, mas..
...Cometi um erro básico e que normalmente não dá segundas oportunidades.
Segurei na linha, e ao puxar o peixe para mim (para depois o agarrar pelas guelras ou boca) esta entrou em tensão e *prackkk* partiu pelo nó do anzol.
Depois desse desaire a actividade caiu um pouco, e a única coisa que teimava em agarrar as nossas amostras eram os infinitamente abundantes charroc(ões)que pululam naqueles fundos.
Até que vejo a cana dele dobrar, e o carreto (Symetre 4000 FI) assobiar naquele agradável som que tanto gostamos.
Pela força e pela linha que levava, era um peixe doutro calibre, vinha aí um bicho grandote.
Passados alguns minutos com a adrenalina em alta e muitos arranques súbitos e violentos, um belo robalo, bem maior que os anteriores, assoma-se à superfície, pela nossa estimativa um animal para os 4/5 kg.
Tudo estava a correr lindamente, o peixe já estava cansado, estava quase..
..Até que, num último arranque *prackk*..
Baixo de fluorcarbono partido.
Depois de uns momentos para nos recompor-mos do "balde de água fria", lá voltamos ao ataque.
Penso que a causa da rotura da linha tenha sido, provavelmente devido a ter roçado nos dentes de um dos charrocos que se apanharam antes.
Com robalos grandes, não há lugar para material com falhas, mas aqui o pescador fez tudo bem...apenas se pecou em não verificar o fio depois de se apanhar um charroco.
Certamente nunca mais nos vamos esquecer.
A sorte voltou a bater à minha porta e tirei mais um robalo porreiro, desta vez com um fluke.
Depois foi a vez do Alex quebrar o "enguiço" e tirar o seu robalo da manhã.




Aí estão, as capturas da manhã, numa jornada de Street Fishing, pesca urbana, onde o vinil e as emoções fortes são reis.

Também estreei uma cana que comprei a pensar na pesca com vinis com pouco peso e amostras de superfície.
A Hiro Formula Seabass Stickbait, de 2,70 metros e acção de 5-20 gramas.
É uma cana ligeira (170 gramas), a acção é média, não sendo a típica acção de ponteira das canas de gama média/alta que normalmente se utilizam para os jerkbaits e minnows, flectindo não na ponteira mas mais ao centro da vara.
É excelente a animar e trabalhar vinis sem peso e amostras de superfície, mas torna-se demasiado mole para amostras que agarrem muito a água.

Até ao próximo lance...na cidade!

8 comments:

MR disse...

Grande Pedro, Um passarinho já me tinha contado essa jornada de street fishing.
Á pois é não sou sou eu que tenho aqui o Mira, Tens ai o Tejo que é bem maior, qualquer dia com aptência que tens para especies fora do comum vou ver aqui um post com uma daquelas Corvinas enormes apanhada por ti heheh,
boa malha a Ti e ao Alexandre

Grande abraço

xandre disse...

Boas, Miguel

Esse post está para breve...


Abraço

Alexandre Alves

Pedro Russo Baião disse...

Vivas Miguel, se tudo correr bem, mesmo para breve heheh

FC disse...

E eu até confirmo...mesmo para muito breve!!

Gouveia disse...

Eh pa,

mas que granda relato.....

Fiquei fan...parabens, bom, se sai uma corvina com vinil,ui, ui,.... que granda gozo que deve ser....

Um tipo até começa a tremer...

Parabens.

Pedro batalha disse...

Muito bom, parabéns ao trio.
Já estou ansioso pelo próximo.

Abraço

Anónimo disse...

Boas!

COM QUE ENTÃO ROBALÕES NO BARREIRO.....

Deste Pedro já nada me surpreende...Mas os factos falam por si e só podemos constatar que embora tenha tido um grande Mestre, a rápida e precisa progressão nesta disciplina, só denotam um grande crer e dedicação!

Da Caparica aquele abraço!

Mário Baptista

David disse...

Boas,
vejo que faz grandes pescarias e que ensina umas coisas no seu blog, vou-me iniciar proximamente no spinning, e este blog deixou-me entusiasmado, sei que estas pescas nao sao para todos, mas assim ja sei que impossivel nao é!
Eu moro tambem no barreiro, e gostava de fazer uns lançamentos aqui no rio, o mais aconcelhavel serao os vinis ou nem por isso?
cumps