quinta-feira, julho 22, 2010

Há momentos que ficam...

....E em que tudo parece "bater certo".
Todos nós perseguimos objectivos, sonhos, demandas.
O processo de alcançar esses objectivos, o planeamento, como diz o meu amigo Alexandre o "sonhar acordado", é das particularidades que mais gosto na pesca enquanto desporto.
Será que a amostra é a adequada? Será que a animação vai provocar uma ataque? A cor será eficaz? E a altura da maré? Haverá lá peixe? Entre tantos outros factores que nos fazem duvidar, ou acreditar, ter "Fé", que hoje vai ser o "Dia".

Numa noite quente e abafada de Verão, com a água espelhada, sem a mínima aragem, condições que me faziam acreditar que, talvez hoje, fosse uma noite boa.

Indo buscar ao banco de dados da memória toda a experiência prévia, a animação das amostras, a cor a usar, e aquele gozo enorme que para mim é criar a expectativa sobre o que irá acontecer.
Mas às vezes expectar não chega, e não prepara.

Anima lentamente um shad de vinil junto ao fundo, dando um toque de ponteira aleatório para o fazer subir, com uma recolha lenta, sentindo bem o relevo do fundo, parando, fazendo a amostra "tremer", na esperança que algum predador achasse a minha amostra uma presa ferida, digna de ser aniquilada.

Senti uma prisão. Esperei um segundo, ferrei, e depois....
Nada.

Preso? Parecia preso, mas passado alguns segundos a prisão começou a mexer-se muito lentamente, levando um metro de cada vez de linha, muito lentamente...como que uma força preguiçosa quisesse apenas passar a mensagem que se sentia ligeiramente incomodada.

Estranhei, sabia que provavelmente era um peixe de tamanho aceitável, pois pelo menos inicialmente não o conseguiria descolar do fundo.

Depois de meio minuto a passo de caracol...o Inferno desceu à Terra.
O peixe tinha entrado de numa zona de corrente e como se tivesse apercebido do bónus que a corrente lhe daria...dispara.

Eu já tinha tido peixes grandes a levar linha rapidamente, mas este, este era diferente.
O meu drag estava no ponto, não poderia apertar muito mais ou o Power Pro de 15 libras partir-se ia zangado sob tensão.

A linha esvaia-se do carreto a uma velocidade estonteante. Eu segurava-me à Gloomis, com a adrenalina a entrar em circulação, mas sem poder fazer grande coisa, sem ser esperar pacientemente por uma paragem.
Saiem 100 metros de linha...
200...
Começo a ver o caso muito, mas muito mal parado.

Quando a linha começava a escassear na bobine do Twinpower lá tive uma paragem, uma aberta para começar a bombear rápido, e recuperei alguns metros perdidos.
Este ciclo foi-se repetindo ao longo de vários longos minutos.
Corridas desenfreadas e imparáveis, cana dobrada até ao máximo que o seu blank permite, muita força aplicada, nas pausas, muito esforço físico para bombear e recuperar linha.
O tempo foi passando, a sudorese picava-me os olhos, o calor, a dor de braços, sensações que normalmente não associo à pesca.
Por fim o meu adversário, que até então me tinha feito pagar por cada metro de linha recuperado parou.
Aproveitei a paragem e apliquei 2 toques fortes e secos, com o objectivo de, com um pouco de sorte, fazer a animal mudar de rumo, e correr para terra, em vez de ir forçando para fora, pois arriscava-me a suportar uma corrida que me tirasse a linha toda da bobine.
Esta "técnica" é uma aposta arriscada, uma amostra ou cabeçote mal ferrado, e as probabilidades o peixe se desferrar são altas, mas arrisquei.
Resultou.
O bicho mudou de rumo, e lentamente foi-se aproximando de terra, sentia-o mais cansado, mas sinceramente, eu também não estava melhor.
Na altura, por estranho que pareça, nem queria ficar com o peixe, tudo isso era secundário, o "apanhar" era algo que já não me importava, se pudesse pedir, pedia apenas uma coisa, vê-lo.
Ver o animal que me tinha levado ao limite, para que, mesmo que não o apanhasse, pudesse continuar a sonhar acordado por muito mais tempo.
Finalmente, acercou-se da margem, lentamente como um submarino de ataque que emerge, um vulto de prata assomou-se à superfície.
Era grande, era um "daqueles".
Mais uma descarga de adrenalina, mais uns minutos de taquicárdia.

Por fim, e com ajuda de muitas mãos e braços de amigos, encalhou-se o imponente animal.
Era o momento derradeiro, uma corrida desesperada, um afundar repentido, e a luta era ganha pelo meu adversário, mas quis o destino que eu tivesse sorte.
Tive a sorte de lhe por a mão na placa da guerla, de o pegar ao colo.
Levantá-lo? Não. Já não tinha forças para isso.


Uma bela corvina, e uma luta, que para mim, foi fenomenal.


Senti-me pequeno, é um bonito animal, imponente e digno de respeito.


Em relação ao tamanho, mediu 1,67 metros e pesou 38 quilos.
Mas mais importante que tudo isso é a satisfação, de ver toda uma aprendizagem que comelou praticamente do zero ao longo de dois anos,a pescar especificamente a esta espécie.
Depois de alguns dissabores, erros e aprendizagens pelo meio, boas capturas, e peixes libertados, fui contemplado com uma senhora Regius.

Em relação ao material, foi o habitual:

Cana Gloomis SJR 783 MH 6'6''.
Shimano Twinpower 4000 FB.
Power Pro 15 libras Vermillion Red + Seaguar FXR 0,43 mm.
Amostra Berkley Powerbait Swimshad de 5" + cabeçote Storm Lip Weight de 15 gramas.

Uma luta de cerca de 40 minutos épica, e da qual provávelmente, não me esquecerei.
MAS denoto que não é o mais adequado para este tipo de peixes, em especial em sítios com muita estrutura!!!!
Lembram-se quando digo que somos recompensados pelo peixe que soltamos?
Cada vez mais acredito nessa máxima.
A Natureza recompensa-nos, e o esforço e dedicação também.

Para terminar em beleza, outro momento que me deixa imensamente feliz, ao fim de uma jornada de quatro anos, terminei hoje a Licenciatura em Enfermagem.

Venham as Férias! Que bem as mereço.

Até ao próximo lance! E quem sabe....senão será mais um momento para recordar?

19 comments:

Fabulous Suburbs disse...

Bem, este post merece comentário. Parabéns pela captura (que peixe fantástico) e já agora também pela licenciatura.
Cumprimentos,
Ivo

Pedro Nunes disse...

Alo Pedro! Desde ja PARABENS, nunca tinha visto um peixe tao grande capturado em pesca apeada! Nem imagino a luta k um bicho desses pode causar, embora a corvina nao seja uma especie k eu seja fã ou costume seguir confesso k gostei do "testamento"
Bons lances
Abraço

Anónimo disse...

Grande Pedro! Mais uma bela corvina...essa é mesmo digna de registo...que grande captura!
Ora então...muitos parabens Sr. Enfermeiro! :)

Abraço!

Luís Marcelo

Kaywox disse...

grande pedro, este é mesmo daqueles post que sou obrigado a comentar, com que então andas-te a meter com os do teu tamanho...
muitos parabens, já tinha visto a foto na revista e só me faltava ler o relatório....muitas parabens, agora ficas com mais um record pessoal batido...

1 abraço

Anónimo disse...

O peixe é de se lhe tirar o chapéu. Mas o relato não lhe fica atrás. É das descrições mais vivas e vibrantes que alguma vez li ! Parabéns.

Mário Pinho

MR disse...

Grande pedro, já tinha visto na revista Mundo da Pesca, fabolosa captura, ms esse relato foi feito de uma forma que quase que me levou a apanha um bocado dessa Corvina, fantástico
Sem duvida nunca esqucerás esse momento.

parabens Sr, enfermeiro

grande abraço

António Matos disse...

Excelente Pedro, triplos Parabéns, pelo Peixe pelo relato e para essa tua nova etapa, venha o trabalho que faz bem :)
abraço

Jose Valle disse...

Precioso ejemplar, digno de admiracion el coseguirlo en esas condiciones de pesca...enhorabuena y ojala se repita.

Un saludo.

Sargus disse...

Parente, desde já os meus sinceros parabéns pela dupla dedicação, persistência e experiência, falo como é óbvio da Regis e da Licenciatura...

;)

Grande abraço Bro e boas férias depois desses dois fights bem mereces, eh, eh, eh...

O Labrax Man estava contigo?

;)

Reitero os meus duplos parabéns.

Pedro Russo Baião disse...

Parente do Sul! Confirmo que o Labrax Man estava presente, e que tentou por várias vezes obliterar a linha com uma ponta de cigarro incandescente.

Altamente reprovável! Eheheh

Teve lá sim senhor, a curtir o momento e a dar desapoio moral!

Pedro disse...

Desejo para a tua nova vida profissional tanta aplicação e sucesso como a que tens demonstrado na pesca. Os meus sinceros parabéns. Abraço.

Sargus disse...

"tentou por várias vezes obliterar a linha com uma ponta de cigarro incandescente"

"a dar desapoio moral"

:(

Epa, isso assim ainda foi mais difícil que pensava, combater fisicamente uma Corvina GT e psicologicamente o Labrax Man é algo sobrenatural...

Ate daqui a uns dias...

Trás o Labrax Man

Abraço

xandre disse...

Não sei quem esse "Labrax Man" mas deve ser uma melga.

Abraço
Alexandre

Sargus disse...

Hum, melga?

Não me parece...

Quando descobrires quem é convida o a vir cá a baixo e dá-lhe boleia, é um tipo fixe e sempre te pode dar umas dicas pelo caminho...

;)

Abraço

carlos crisostomo disse...

Excelente captura,excelente relato.
São momentos como esse que nos fazem sonhar,momentos para mais tarde recordar.
Parabéns pela dupla satisfação:Captura e licenciatura.

Filipepais disse...

Simplesmente brutal!!

Grande abraço

Toño disse...

Alucinante!!!

Enhorabuena

António Jorge disse...

Grande bicho...parabéns!

Anónimo disse...

Oi fascinante este site parece muito organizado.........bom estilo:)
Muito agradável faz mais posts assim !!