domingo, março 27, 2011

O regresso

Depois de muito tempo sem ir à pesca, por um conjunto variado de razões, este fim de semana voltei ao mar para fazer uns lançamentos na companhia do Mário. A noite estava agradável, tempo ameno, pouco vento, a maré a descer e um pesqueiro que reunia boas condições, com fundo misto, muita pedra à mostra e um mar a ganhar força mas ainda perfeitamente pescável.

Quanto ao material estava com uma cana da Sakura, a Shin Jin, de 3 m, acção 20-60 g, uma cana forte indicada para lançar amostras mais pesadas mas que permite igualmente trabalhar muito bem artificiais mais leves. É uma cana que ando a testar e que oportunamente sairá o teste na revista Mundo da Pesca. O carreto era o meu tradicional Twin Power 4000 FC equipado com um multi Power Pro 0.19 e uma baixada de fluorocarbono de 0.41 a prever o roçar nas pedras.

A aposta inicial foi numa amostra que me tem dado muitas alegrias, a Flashminnow 110 SP na cor Laser Green Head. Na verdade, de noite começo quase sempre a pescar com ela...manias. Depois de alguns lançamentos, o Mário ferra o primeiro da noite...um peixe pequeno que acabou devolvido à água mas que o animou pois era o primeiro robalo do ano. "Já livrei a grade e quebrei o enguiço" dizia-me ele.


Sem ter ataques decidi mudar para uma outra amostra e procurar alcançar um pouco mais de distância no lançamento para ver se andavam mais longe os robalos. Optei então por uma Duo Tide Minnow SLD 145, floating, toda preta e após alguns lançamentos tive um ligeiro toque mas o peixe não ficou mas deixou-me mais animado a pensar que havia por ali realmente uns robalos.


Com o descer da maré, a água começou a ficar mais espumada e decidi mudar novamente de amostra e voltar a uma Flash 110, só que desta vez fui para o oposto e escolhi uma toda branca, a Pearl White, pois o meu instinto para ali apontou vendo a espuma a formar-se. O resultado foi um violento ataque passados alguns lançamentos e o regresso de um conjunto de sensações fantásticas que já não tinha há algum tempo. O carreto cantava e o peixe lutava com força para se soltar. Quem me conhece sabe que não costumo pescar com o drag muito aberto, confiando na cana e no carreto para me ajudarem a dominar o peixe. A cana bem vergada e as cabeçadas valentes davam-me a alegria de voltar a sentir um robalo. Após uns minutos de luta lá o coloquei a meus pés e trazendo-o discretamente até ao saco o arrumei sem que antes o observasse bem e agradecesse a Deus por me deixar estar ali a fazer o que tanto gosto.


O Mário tinha-se afastado de mim e quando voltou viu pelo meu sorriso que tinha apanhado alguma coisa...foi ao saco e voltou com as velhas expressões dele, aquelas de que já tinha saudades de ouvir...soube-me muito bem. A noite ainda deu mais um peixe de palmo  para o Mário e um outro um pouco maior para mim, acabando os dois devolvidos à água.

Para a primeira pesca do ano não foi nada mau... um robalo de 2.3 kg e uma noite muito bem passada!

2 comments:

Pedro Russo Baião disse...

Grande regresso amigo!

Um abraço!

Nelson Silva disse...

Não há nada melhor, do que começar-mos com o pé direito!!!

Ora ai está uma boa analise das condições, e uma boa escolha na cor das amostras....

Continuação de boas pescarias....

http://momentos-de-pesca.blogspot.com