segunda-feira, maio 30, 2011

Procurando os Robalos

Aproveitando os dias de bom tempo do mês de Maio que já lá vai, o team reuniu-se para fazer umas saídas apeadas e embarcadas à procura dos nossos amigos robalos.
Felizmente para nós, tivemos alguma colaboração da parte dos nossos amigos robalos.
Saímos bem cedo para aproveitar a calma matinal e as primeiras horas de luz.


Depois de chegarmos aos pesqueiros escolhidos, foi altura de muito trabalho de sonda, e posicionamento do barco por parte do skipper Mário Rodrigues.
Com alguma paciência e insistência, os resultados foram aparecendo.







A pesca de costa nocturnas também deu sessões bem divertidas, onde a capacidade de ferragem foram fundamentais.





O António Gouveia, tanto de barco com de costa foi sem dúvida o Rei do Choco.
É em quantidade e qualidade, até com vinil!








E assim se vai passando o tempo até Julho.


Está quase...!


Pedro Russo

domingo, maio 01, 2011

Robalos nas Ondas de luto

O Robalos nas Ondas está de luto pelo falecimento, esta noite, do pai do Xandre, membro do blogue e principalmente amigo de todos nós.A ele e a toda a família deixamos os nossos mais sentidos sentimentos e uma mensagem de coragem para enfrentar estes dias dificeis. Todos sabemos que a vida continua e nada para à nossa volta mas é sempre uma luta para superar.
Força amigo, grande abraço de todos nós!

O funeral realiza-se amanhã, dia 2 de Maio, a partir das 17:30, saindo da Avenida Estados Unidos da América para o Cemitério dos Olivais onde o corpo será cremado pelas 18:30.

Robalos nas Ondas de luto

Shore Jigging - Primeiras Tentativas

Considero o termo "Shore Jigging" mais uma importação da língua inglesa, como tantos outros termos que usamos na pesca.
Levado à letra quererá dizer, na minha opinião, a pratica da pesca ao "jigging" com zagaias de metal a partir da costa.
Se nessa categoria se podem incluir os famosos chivos e gaias ou se deverão ser consideradas amostras de "corrico" deixo ao critério de cada um.
Adquiri a Major Craft Zaltz de Shore Jigging com a intenção de, para além da pesca com vinis pesados, usar logicamente zagaias e casting jigs.
Encontro-me no príncipio de uma curva de aprendizagem que acho que vai ser enorme.
Lançando a distâncias a que nunca tinha pescado antes, e consequentemente chegando a sítios que para mim são novidade. Aplicando novas animações e recolhas, diferentes das usadas com as amostras rígidas mais "clássicas".

Que resultados poderei ter?

Será que poderei capturar novas espécies?
Só o tempo o dirá.
Seja como for, os primeiros resultados já foram aparecendo, e no meio deles houve um que seria um peixe fantástico mas que se decidiu desferrar e não comparecer na fotografia da praxe.
No entanto, cá vão os primeiros:

Ainda estou em fase de aquisição de assist hooks mais adequados para este tipo de zagaias (40 e 60 gramas), os que usei revelaram-se demasiado pesados e grandes, dando origem a muitas desferragens e a um baixo ratio de ataques vs capturas efectuadas.




Pequeno mas bonito. Após a fotografia, foi libertado, como todos os peixes apanhados nesta sessão entre mim, o Alexandre Alves e o nosso amigo Ricardo Marreiros.


Utilizei um triplo traseiro nas zagaias que usei, no entanto acho que não é boa ideia, e irei assim que possível substituí-los por anzóis simples, tipo Decoy Sergeant.


video



Termino com uma das libertações, esta feita pelo R.M.



Até à próxima experiência!