quarta-feira, janeiro 23, 2013

Rapala knot

Este nó é muito utilizado para unir o leader às amostras quando estas não têm split ring, sem usar o clip.

A linha branca é o leader (monofilamento).

Dá-se um nó cego sem apertar.
Passa-se a ponta da linha pelo olhal da amostra.
Fazemos passar a linha pelo nó cego mas no sentido contrário ao da saída.
Damos umas cinco voltas.
E fazemos passar a linha novamente pelo o meio do nó cego.
Volta-se a fazer passar a linha pelo meio da laçada que se fez ao passar pelo meio do nó cego. 
Passa-se saliva e aperta-se.
Cortamos o excedente.


Este texto foi publicado na revista Mundo da Pesca


terça-feira, janeiro 08, 2013

Arrábida da Serra ao Mar - Património Mundial da Unesco

Programa emitido na SIC no dia 6 de Janeiro de 2013.
Parabéns à realização de Luís Quinta e Ricardo Guerreiro, produzido pela TRADIVÁRIUS e patrocinado pela AMRS (Associação de Municípios da Região de Setúbal).

sexta-feira, janeiro 04, 2013

Improved clinch knot

Este nó é muito usado para unir o leader às amostras quando estas têm split ring ou quando se usa clip (este deve ser usado quando a amostra não tem o split ring ou foi retirado).


A linha branca é o leader (monofilamento).

Vamos passar o leader pelo split ring.

Dão-se umas seis voltas em torno da linha.

Introduz-se a linha pelo o meio da primeira volta.

De seguida, passa-se a linha pela laçada que se fez ao passar a linha pela primeira volta.

Antes de apertar não esquecer de passar saliva para não danificar a linha.

Cortar o excedente.

Para usar improved clinch com clip os passos são os mesmos.

Este texto foi publicado na revista Mundo da Pesca


quarta-feira, janeiro 02, 2013

Canoeman Loop Knot

O nó Canoeman loop também é conhecido por Mickey Mouse loop como veremos no final da execução, pois, ao observá-lo, facilmente podemos imaginar as orelhas do nosso amigo de infância.
Este nó é muito usado na pesca com vinis quando se pretende um nadar mais solto mas também pode ser usado com amostras “duras”.
Para melhor visualização dos passos, as mãos não foram fotografadas mas, ao longo da explicação, vou dando informações relativamente à forma como se segura o conjunto.

Passa-se a linha pelo olhal do anzol.
 
Segura-se a amostra com o polegar e o indicador da mão esquerda junto à cabeça/olhal do anzol.
Fazemos uma laçada, levando a linha da frente para trás e ficando esta presa junto do olhal do anzol.


Seguidamente, voltamos a fazer uma segunda laçada, levando novamente a linha da frente para trás, de forma a ficar presa junto à primeira.
Introduzimos, então, a segunda laçada pela frente da primeira laçada.


Depois, vamos passar a ponta da linha pela frente, no meio da segunda laçada.
A ponta da linha vai ficar segura entre o nosso polegar e o indicador e devemos puxar pela parte da linha que vai para a cana, no sentido desta.


Aperta-se, sem esquecer de passar saliva.



Corta-se o excedente, deixando um pouco para alguma segurança.
Este nó, que pode parecer complicado inicialmente, torna-se muito fácil com o uso e permite capturar grandes exemplares.

 
Este texto foi publicado na revista Mundo da Pesca.