quarta-feira, dezembro 13, 2006

Reflexões sobre a lei da pesca lúdica



Meus amigos, deixo aqui alguns dados sobre o valor da pesca desportiva:

  • Calcula-se que existam na Europa, cerca de 8 a 10 milhões de pescadores que praticam a pesca desportiva e de lazer no mar;
  • Associada está uma indústria que oscila entre os 8 e os 10 mil milhões de euros.

Fonte: Comissão Europeia

Não seria mais sensato apostar mais na pesca desportiva e limitar mais outros tipos de pesca que apenas destroem os recursos de forma indiscriminada? Numa altura em que os pescadores desportivos em Portugal são confrontados com legislação para regular a pesca lúdica altamente restritiva seria bom as nossas autoridades reflectirem um pouco melhor nas opções para este sector tendo em vista aproveitar as magnificas potencialidades da nossa costa ao invés de continuarem refens de interesses instalados.

Será que ninguem se questiona qual a razão que leva os pescadores desportivos a ficarem obrigados a cumprir limites quer de capturas quer até dos próprios locais onde pescam e nada se faça para impedir a chacina que acontece todos os anos ao longo da nossa costa com os chamados pescadores artesanais a encher as praias de redes e aparelhos e a impedir que o peixe possa desovar? Será que ninguem se questiona da justiça que é ter de pagar para pescar e ainda por cima subsidiar a actividade que mais prejudica os recursos da nossa costa?

Será que para além de todos os impostos que pagamos ainda teremos de dar mais um subsidio a tantos que se gabam de fazer grandes lances de robalos e sargos e que não respeitam nada nem ninguém, aplicando com grande gabarolice o lema de que o que apanharem hoje não fica para outro apanhar amanhã. Eles merecem ser apoiados, subsidiados pois contribuem para preservar as espécies. É fantástico isto.

Triste país o nosso!!!

5 comments:

Bicuda disse...

Desde já, um abraço desde o Pico, Açores.

Nos EUA já foram feitos estudos e relatórios que concluem, para a pesca do Robalo (Striped Bass), que o "valor económico" da pesca recreativa é três vezes o da pesca comercial. Daí a preocupação em legislar, estado a estado (no caso deles) com a supervisão federal, para que não haja escassez de recursos "robaleiros", o que poderia trazer graves prejuízos económicos, sociais e de qualidade de vida (bem-estar recreativo).
Apesar dos erros que também se verificam por lá, nós por cá ainda estamos a anos-luz da consciencialização sobre a importância destas matérias...

Anónimo disse...

será? será? parece mesmo que é... a incompetência e falta de visão, aliados a interesses instalados, resultam que até na pesca desportiva observemos estes governantes a prejudicar-nos, sem que sejam responsabilizados por isso!

É a vida cá pelo burgo...

E viva o sul carago!!!! lolol

Anónimo disse...

Então este blog está encalhado nalgum baixio? Isto anda ou não anda? É que por este andar parece que não se pesca nada...

Ricardo Leonardo disse...

Foi com tristeza que vi as praias entre Paredes da Vitória e Vale Furado em cada coroa "equipadas" com redes nas respectivas estacas na passada semana.
Ao ser ilegal, que será feito da fiscalização, agora também pelas novas licenças subsidiada??

Sito Galiza disse...

En tudos lados están a cozer as fabas. Aqui na Galiza estamos na mesma situaçiâo, despois de ler a súa reflexiâo vexo que en tudas partes os pescadores deportivos pensamos igual. Na nossa terra agora están a instalar parques protegidos da pesca subacuatica e a pesca professional onde se permitirá ó peixe desovar e criarense, más penso que fica moito por facer para cambiar a direcciâo desta desfeita.

Saúdos